Homicidômetro 2018



Médica diz que alta de paciente depende do voto



Profissional deu a entender que não daria alta para quem não votasse em Bolsonaro: A médica Beatriz Padovan Vilela, do Mato Grosso do Sul, será investigada por conta de uma suposta publicação no Facebook em que a profissional escreveu que dependeria do votos dos pacientes para receber alta.

"Hoje é dia de maldade. Perguntar pro paciente em quem vai votar antes da alta. Dependendo da resposta, alta só segunda!! #B17 É dessa vitamina que o povo brasileiro precisa!", dizia a publicação. O perfil da médica foi excluído, mas o caso viralizou na internet.

A Secretaria de Saúde do MS informou que o caso deve ser denunciado ao Conselho Regional de Medicina do Estado, que por sua vez, disse ter sido informado sobre o caso. Em nota, o Conselho informou que "não concorda e não corrobora com opiniões, seja de conotação política ou não, que contrariem os códigos éticos profissionais, neste caso o da medicina, uma vez que o mesmo reforça que o profissional jamais utilizará seus conhecimentos para causar sofrimento físico ou moral do ser humano ou para permitir e acobertar tentativa contra sua dignidade e integridade".

Conforme a Secretaria, "não há nenhuma restrição sobre o livre pensamento, sendo o mesmo assegurado legalmente, considerando a liberdade individual dos servidores nas suas relações privadas, especialmente no uso de perfis pessoais nas redes sociais, sendo os mesmos responsáveis por responder cível e criminalmente pelos seus atos".
Share:

Nenhum comentário:

Reportágens

Últimas

Postagens mais visitadas