Homicidômetro 2018



Na sua segunda gestão, Camilo Santana terá outra chance para tirar o Ceará do lamaçal da violência

Atualizado em 17/8/2018  
 Santana de Quepe
Apesar dos números negativos da política de Segurança Pública nos primeiros quatro anos à frente do governo, Camilo Santana promete não se entregar. Está em vantagem praticamente insuperável nas pesquisas eleitorais para sua reeleição e no começo desta semana deu mais um importante passo no combate à violência no Ceará. Segundo o gestor-candidato, ainda neste ano será realizado mais um concurso para o preenchimento de vagas na Polícia Civil do Ceará, para os cargos de delegado, escrivão e inspetor. “Vou transformar a Polícia Civil do Ceará na melhor do Brasil”, sustentou ele nas redes sociais. A partir de 2019, ele terá uma segunda chance de tirar o Ceará no lamaçal da violência. 
ERROS E OMISSÕES
Entre janeiro de 2015 (quando Camilo assumiu o governo do Ceará) e julho deste ano, o Ceará registrou, nada menos, que 15.500 homicídios. São números de uma guerra. Índices que comprovam, de nova inequívoca, a derrota da política da Segurança Pública do estado, mesmo com os milionários investimentos feitos no setor, desde a convocação de milhares de novos policiais à aquisição de equipamentos de ponta (armamento, aeronaves, sistema de videomonitoramento, viaturas etc). Faltou investir no que é essencial no combate ao crime: a Inteligência. Faltou também a valorização e a modernização da Polícia Judiciária (ainda há municípios no Ceará sem delegacia). Faltou também coragem para enfrentar as ameaças do crime organizado e instalar bloqueadores de celular nos presídios. Esses “equívocos” custaram caro para o Ceará, que permanece entre os líderes do ranking de estados mais violentos do País. E quem atesta isso é o Fórum Brasileiro de Segurança Pública no Mapa da Violência.
A AFLIÇÃO DO SECRETÁRIO
Restando pouco mais de quatro meses para terminar 2018, a aflição dos gestores da Segurança Pública é tentar evitar a tragédia do ano passado, quando o estado bateu todos os recordes nacionais de criminalidade, chegando a registrar mais de cinco assassinatos (5.134 segundo governo, e 5.332 segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública). Na verdade, 2017 para a SSPDS é um ano a ser esquecido. A luta desesperada agora do secretário André Costa e do seu staff é evitar a repetição da tragédia do ano que passou. E para isso, o estado deu seu primeiro passo: reduziu os homicídios em Fortaleza/Capital. Como fez isso? Aumentou o efetivo da PM nas ruas, ocupou territórios antes dominados por facções criminosas e começou, embora que timidamente, a reconstruir a Polícia Civil. Contudo, na Região Metropolitana e no interior a matança desenfreada continua. O que não se sabe é se, a partir de janeiro de 2019, Camilo manterá a mesma equipe na SSPDS. Palpites???
VEREADOR DISPARA
Vereador de Fortaleza Julierme Sena, candidato a deputado federal, repudiou o triste episódio ocorrido há uma semana em Fortaleza, quando um policial civil teve que abandonar sua casa diante das ameaças de criminosos. “O governo do Estado do Ceará precisa dar reais condições e garantias de trabalho aos profissionais da Segurança Pública para que a ordem seja restabelecida”, disse Julierme, que é policial civil e sabe do que está falando. Ele completa: “o estado do Ceará vive hoje uma situação degradante na Segurança Pública, ao ponto de virar rotina a expulsão de famílias de suas próprias casas por ordem de facções criminosas”. Sendo de dentro de casa, Julierme entende do riscado e sabe do pavor dos fortalezenses diante de tanta violência.
TORRE NO CENTRO
O Centro de Fortaleza vai receber uma atenção especial da Prefeitura Municipal no quesito segurança. Está prevista dentro dos projetos do Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU) a instalação de uma Torre de Segurança igual as já em funcionamento nos bairros Jangurussu e Barra do Ceará (Goiabeiras). O local onde ela será implantada não foi ainda definido pelo coordenador do PMPU, vice-prefeito Moroni Bing Torgan. Ali atuarão guardas municipais e policiais militares no trabalho de prevenção à violência. Será um referencial para o patrulhamento ostensivo da área, que deverá ser incrementado. Nas comunidades onde já foi instalado, o PMPU reduziu drasticamente os índices de homicídios e outros delitos. As próximas torres a serem inauguradas ainda neste ano já estão sendo erguidas na Vila Velha (próxima à UPA), Caça e Pesca (perto da Sabiaguaba), Barra do Ceará (próximo ao Cuca) e no Antônio Bezerra (na Avenida Mister Hull, pertinho da Rodoviária dos Pobres). Depois, virão: Canindezinho, Bonsucesso, Edson Queiroz (Dendê), CE-040 (nas proximidades da comunidade Pôr do Sol) e na BR-116 (próximo ao Tancredo Neves e à comunidade do Areal).
CHEIRO DE IMPUNIDADE
Para muitos, a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de transferir para a Primeira Instância o julgamento dos processos sobre a “Operação Expresso 150” pode representar o primeiro passo para a impunidade de desembargadores e advogados. Esses magistrados e causídicos são suspeitos de envolvimento em uma organização criminosa que se formou dentro do Tribunal de Justiça do Ceará com o objetivo de vender liminares para bandidos do crime organizado. Foram “beneficiados” com a decisão do STJ os núcleos que seriam chefiados pelos desembargadores Francisco Pedrosa Teixeira e Váldsen da Silva Pereira (já aposentado). Enquanto isso, foram denunciados pelo Ministério Publico Federal (MPF), o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa e seus filhos – Ubaldo Machado Feitosa e Fernando Carlos Oliveira Feitosa, além de Juliana Paula Abreu Lima Feitosa. Todos foram investigados pela Polícia Federal a partir da descoberta de que liminares com seus respectivos alvarás de soltura eram “vendidos” nos plantões de fins de semana ou feriados no TJCE.
E TEM MAIS!!!!
* Já está virando rotina no Ceará a localização e apreensão de armas de guerra nas mãos de criminosos. Fuzis, metralhadoras, submetralhadoras e até granadas são encontrados facilmente em poder de ladrões de bancos, traficantes e chefes de facções criminosas.
* Em uma operação na cidade de Morada Nova, no Vale do Jaguaribe, policiais da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), encontraram enterrados no quintal de uma casa, dois fuzis de calibre Ponto 50 (.50), capaz de esmigalhar um carro-forte e derrubar aeronaves como helicópteros.
* Na quinta-feira, foi a vez de policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) encontrarem um fuzil em poder de um suspeito de assaltos a bancos. A arma, de calibre 5.56, foi localizada em uma casa no Conjunto Araturi, no Município de Caucaia.
* Delegacias de Fortaleza, estejam ou não de plantão, recebem todas as noites a “visita” de policiais da Unidade Tático Operacional (UTO), da Divisão Antissequestro (DAS). O objetivo é reforçar a segurança, evitar fugas ou resgates de presos, e prevenir contra ataques e atentados.
* Não há mais para quem apelar. O tráfico de drogas corre soltou no entorno do prédio da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) na Avenida Bezerra de Menezes. Nas ruas por trás e de lado da secretaria, “flanelinhas” são os distribuidores das drogas. Ninguém faz nada. SSPDS desmoralizada.
* E A PERGUNTA DO DIA: O governo fará novo concurso para a Polícia Civil mesmo tendo centenas de candidatos aprovados no certame anterior e que estão no Cadastro de Reserva???
Share:

Nenhum comentário:

Reportágens

Últimas

Postagens mais visitadas

Arquivo do blog